sábado, 4 de janeiro de 2014

Homenagem ao Pardal Desconhecido



Há alguns meses encontrei um pardal macho na calçada, o mais estranho é que ele só andava, fui tentar pegar-lo, mas ele se escondeu. Logo após eu ter voltado da padaria o encontrei novamente e reparei que tinha uma asa quebrada, mas dessa vez foi mais difícil, pois ele entrou pelo vão do portão em uma empresa que oferecem serviços de segurança, logo fui ao outro lado do lote, que fica em uma avenida movimentada e eu pedi para um funcionário se eu podia entrar para resgatar um passarinho, o que foi negado, logo o funcionário conseguiu que o passarinho saísse do lugar.

Mas mesmo assim ainda é muito ágil, em meio aos risos dos funcionários e os olhares de que eu fosse um louco corri atras do passarinho que se abrigou em um carro estacionado, logo ao tentar pegar ele, correu para um local mais fundo, pro motor do carro, disseram os funcionários que é de um deles que deixou o carro lá e não se sabia quando voltaria enum tom de chacota, disse que isso acontece de vez em quando e que já matou uns três assim.

 E por ali fiquei até ao anoitecer para ver se ele voltava, mas nada e eu olhava o carro de cabeça pra baixo, choaqualhava e nada, até que anoiteceu completamente e os funcionários já queriam me exxpulsar e tive que ir embora.

Voltei na manhã sequinte e nem o carro e nem o passarinho estavam por lá, olhei por todos os lados e até na avenida, pois poderia até ter sido atropelado, provavelmente ele deve ter se escondido em uma casa ao lado cheia de plantas, apesar de não ter o visto lá. No fim só me restou a angústia e a sensação de impotência em não ter resgatado o arisco pardal. Não sei se ele morreu ali mesmo, se sobreviveu por uns tempos ou se curou-se e voou livremente, só me restam dúvidas. Só quero que ele esteja bem.


Um comentário:

  1. tadinho..espero que ele tenha se salvado por um milagre..parabens pela linda atitude,,eu faço estas loucuras de vez em quando e acho que as pessoas pensam que soi doida, pois em nenhum momento, conseguem se preocupar com as pequeninas e importantes vidas que compartilham o nosso habitat..

    ResponderExcluir